Qual a finalidade da reencarnação?

Postado em 07/05/2021

Quer saber qual a finalidade da reencarnação? Um dos conceitos que mais despertam o interesse entre adeptos do Espiritismo, bem como os que não são Espíritas, é o tema deste artigo.
A crença na reencarnação não é exclusividade do Espiritismo

Um dos grandes diferenciais entre as diversas doutrinas religiosas é a crença na reencarnação.

O Espiritismo é  uma doutrina com fundamentação cristã, porém, diferentemente de todas as outras doutrinas cristãs, ele prega a reencarnação, enquanto que o Catolicismo e o Protestantismo pregam a ressurreição, ou seja, entendem que vivemos apenas uma vez num corpo físico.

Evidentemente existem adeptos nessas outras correntes cristãs que acreditam em reencarnação, mas essa não é a posição doutrinária oficial.

Particularmente no Brasil a crença na reencarnação é bastante difundida e aceita pelo povo em geral, portanto não somente os espíritas acreditam na reencarnação.

Aliás, nos primórdios do cristianismo havia grande controvérsia entre aqueles que aceitavam a reencarnação e os que a rejeitavam. No entanto, ao longo do tempo a Igreja Católica decidiu que não seria aceita essa possibilidade, o que, institucionalmente definido,  prevalece oficialmente até a presente data.

Siga na leitura para entender a finalidade da reencarnação.
A finalidade da reencarnação explicada pelo Espiritismo

Mas então, por que nós espíritas acreditamos na reencarnação? Qual a finalidade da reencarnação, afinal?

Para respondermos essa questão recorreremos a O Livro dos Espíritos, onde os espíritos por meio de Kardec, nos esclarecem sobre este tema. O capítulo IV – Da pluralidade das existências nos informa:

    Como pode a alma, que não alcançou a perfeição durante a vida corpórea, acabar de depurar-se?

“Sofrendo a prova de uma nova existência.”

    a) Como realiza essa nova existência? Será pela sua transformação como Espírito?

“Depurando-se, a almai ndubitavelmente experimenta uma transformação, mas para isso necessária lhe é a prova da vida corporal.”

    b) A alma passa então por muitas existências corporais?

“Sim, todos contamos muitas existências. Os que dizem o contrário pretendem manter-vos na ignorância em que eles próprios se encontram. Esse o desejo deles.”

Ou seja, a reencarnação faz-se necessária para que o espírito possa se aperfeiçoar e isto ocorre via múltiplas existências corpóreas. Ainda em O Livro dos Espíritos mais informações sobre a finalidade da reencarnação:

    167. Qual o fim objetivado com a reencarnação?

“Expiação, melhoramento progressivo da humanidade. Sem isto, onde a justiça?”

Na busca por entender a finalidade da reencarnação, podemos dizer que a reencarnação é o mecanismo pelo qual se processa a evolução de forma justa para todos.

Por meio dela, o Espiritismo, ao contrário de outras doutrinas que a negam, conseguem explicar de forma plena a justiça divina quando os tempos e condições de vida das pessoas são tão diferentes, se comparados em apenas uma única existência corpórea.

Onde estaria a justiça divina se julgasse igualmente um espírito que nasceu e morreu logo em seguida, com outro que, diferentemente, teve uma longa vida de privações e sofrimentos?

Por isso é tão esclarecedor entender a finalidade da reencarnação segundo a Codificação Espírita.
  O dogma da reencarnação

Algumas pessoas costumam dizer que o Espiritismo não tem dogmas e isso não é uma verdade!

    Em que se funda o dogma da reencarnação?

“Na Justiça de Deus e na revelação, pois incessantemente repeti-mos: o bom pai deixa sempre aberta a seus filhos uma porta para o arrependimento. Não te diz a razão que seria injusto privar para sempre da felicidade eterna todos aqueles de quem não dependeu o melhorarem-se? Não são filhos de Deus todos os homens? Só entre os egoístas se encontram a iniquidade, o ódio implacável e os castigos sem remissão.”

A  reencarnação é um dogma espírita, dogma no sentido de fundamento sem o qual a doutrina não faz sentido e, dada a sua enorme importância, ela constitui-se em um de seus principais pilares.

O Espiritismo postula que para espíritos imortais, como nós somos, o tempo de uma encarnação é muito menos que um grão de areia no deserto. Ou seja, insignificante para determinar o destino final de um ser após um curto período de tempo na vida corpórea.

É bem mais razoável entender que os espíritos tenham várias oportunidades em diferentes existências físicas, amadurecendo em todos os sentidos:- emocionalmente, intelectualmente e espiritualmente. Isso até que tenham condições de, já depurados, partirem para estágios de vida mais sublimados.

Nesses estágios, as encarnações não são mais necessárias. Afinal, se a finalidade da reencarnação é a evoluçãoos espíritos, já terão atingido o grau máximo de aprendizado através das diferentes condições que cada encarnação oferece.

    O que fica sendo o Espírito depois da sua última encarnação?

“Espírito bem-aventurado; puro Espírito.”

Através das reencarnações nos depuramos, ou seja, vamos amadurecendo, aprendendo e atingindo a plenitude de nossa liberdade, quando então poderemos alçar-nos para esferas superiores de entendimento, as quais só podemos imaginar e desejar atingir.

Para as pessoas que desejam aprofundar este tema sugerimos a leitura das obras listadas acima. O tema reencarnação foi amplamente abordado, em conformidade com a sua relevância para a doutrina espírita.

Conclui-se que a reencarnação expressa a Justiça Divina por dar inúmeras oportunidades para que os espíritos, criados simples e ignorantes, possam amadurecer.

Consequentemente os conceitos de penas eternas, inferno e castigos não fazem sentido para aqueles que abraçam a Doutrina Espírita.

Portanto, a finalidade da reencarnação é o aperfeiçoamento dos espíritos por meio de existências corpóreas, nas quais experimentam necessidades e problemas que permitem a reflexão e aprendizado em conformidade com o grau de cada um.

Cabe a cada espírito acelerar ou retardar seu progresso de acordo com o seu aproveitamento em suas múltiplas existências.  A reencarnação também serve para a evolução dos mundos, onde o progresso geral é medido pelo grau da maioria dos espíritos que o habitam, ao nos aprimorarmos individualmente melhoramos a nossa sociedade, façamos a nossa parte.

 

Fonte:

Jeferson Betarello

Escritor, palestrante espírita, articulista, mestre em Ciência da religião pela PUC/SP
www.cafecomkardec.com.br

Nenhum comentário, seja o primeiro !

Deixe seu comentário