Psicografia em Evocação Particular

Postado em 02/07/2021

Psicografia: uma mediunidade muito importante

A psicografia foi e ainda é o mais importante tipo de mediunidade. Toda a Doutrina Espírita foi construída com uso da psicografia.

A psicografia tem muitas utilidades. A primeira é comprovar a continuidade da vida após a morte do corpo físico.

A segunda, especificamente em evocações particulares, é a consolação daí advinda. Basta lembrar a fase do mediunato de Francisco Cândido Xavier, na qual psicografou as cartas de jovens desencarnados para seus familiares e em especial para suas mães.

A terceira utilidade da psicografia de evocação privada, está na fácil comprovação da identidade do Espírito comunicante, uma vez que seus modos de se expressar possibilitam o total reconhecimento por seus entes queridos encarnados.
A psicografia segundo Allan Kardec

Allan Kardec prestigiou a aplicação da psicografia e enalteceu o fato dela favorecer a comprovação da identidade do Espírito comunicante.

Assim é que na Revista Espírita de março de 1858, escreveu um artigo denominado “Utilidade de certas evocações particulares”, na qual exaltou os bons frutos decorrentes desta prática, obviamente com os cuidados de praxe.

Ainda na mesma Revista Espírita, podemos ver que Kardec a incentivava, porquanto há várias comunicações sob os títulos “Palestras de Além Túmulo”, “Palestras Familiares de Além Túmulo”, “Evocações Particulares”, entre outros.
A psicografia nas Casas Espíritas

Existem casas espíritas que prestam este atendimento em reuniões públicas. São atividades meritórias, mas que devem ser precedidas de explicação sobre o fenômeno mediúnico. Afinal, as pessoas que procuram contato com seus entes queridos desencarnados, geralmente são leigos em Doutrina Espírita.

Assim sendo, é necessário que todos que pedem este tipo de psicografia sejam devidamente informados, que a comunicação só se dá por permissão de Deus. Por vontade e capacidade do Espírito comunicante e pela capacidade do médium.

Além disso, nunca esquecer que a mediunidade não deve ser remunerada em nenhuma hipótese.

Não se deve receber dinheiro nem favores por este ato de caridade.  Aplica-se neste caso os ensinamentos do Capítulo XXVI – Dar de graça o que de graça receber, de O Evangelho Segundo o Espiritismo.
Preparando as equipes para o trabalho com psicografia

A prática da psicografia em evocação particular é importante e meritória. Mas, atualmente, é bem trabalhosa e perigosa.

Quem quiser trabalhar com ela deve ser moralmente bom e prudente. Como são poucas as pessoas com estas qualidades, penso que, por enquanto, devemos nos preparar para praticá-la no futuro.

E a preparação consiste no estudo sério, constante e metódico da Doutrina Espírita.

 

Fonte:

Paulo Castanheiras

Advogado, Dirigente, Articulista e Expositor Espírita, integrante da equipe do Café com Kardec.
www.cafecomkardec.com.br

Nenhum comentário, seja o primeiro !

Deixe seu comentário